quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Fabiana Murer conquista 1º ouro para o Brasil em um Mundial


Fabiana comemora com a bandeira brasileira no estádio da cidade sul-coreana

O Brasil conquistou sua primeira medalha no Mundial de atletismo, em Daegu, na Coreia do Sul. Nesta terça-feira, a atleta Fabiana Murer, 30, ganhou o ouro no salto com vara. A brasileira ultrapassou o sarrafo com a marca de 4,85 m.

Nas 12 primeiras edições do Mundial de atletismo, todas as dez medalhas do Brasil foram conquistadas por homens e nenhuma dourada --cinco de prata e as outras cinco de bronze. Na última disputa, em Berlim-2009, a delegação não conseguiu nenhum pódio.

A medalha de prata ficou com a alemã Martina Strutz, que não conseguiu superar a marca de 4,90 m --fez 4,80 m. O bronze ficou com a russa Svetlana Feofanova, com 4,75 m.

Favorita para conquistar a medalha de ouro, a russa Ielena Isinbaieva não conseguiu passar o sarrafo com 4,80 m e ficou fora do pódio. Ela conseguiu saltar apenas 4,65 m e errou ao tentar 4,75 m e 4,80 m.

Para conquistar a medalha de ouro, Fabiana Murer fez o primeiro salto com o sarrafo a 4,55 m. Depois, a atleta saltou a 4,65 m. A brasileira teve uma estratégia ousada e não quis saltar 4,70 m pulando direto para 4,75 m. Ela conseguiu ultrapassar as três marcas no primeiro salto.

Logo depois, tentou 4,80 m, mas não obteve êxito no primeiro salto. No segundo, a atleta conseguiu ultrapassar o sarrafo. Na sequência, ultrapassou a marca de 4,85 m no primeiro salto e passou a liderar a prova.

Com a medalha de ouro garantida, Fabiana Murer tentou saltar 4,90 e 4,92 m, mas não conseguiu superar o sarrafo.

No ano passado, Fabiana Murer conquistou a medalha de ouro no Mundial Indoor de Doha, no Qatar.

Fabiana Murer comemora marca no Mundial de atletismo, em Daegu, na Coreia do Sul

Por MELK LEÃO

A “Curupira” de Dilma produz banana e adora motociclismo


Com uma população de 23 mil habitantes e distante 167 km do Recife, Cupira ou a “Curupira”, como disse a presidente Dilma, numa gafe lamentável ao saudar a plateia no evento de ontem, no qual assinou contratos e convênios para o Estado, é um município que vive praticamente da agricultura de agropecuária, além do setor de confecções, contando com feira livre e a feira de teste apenas com artigos do vestuário. Os principais produtos agrícolas são batata doce, mandioca,banana, feijão, cará e milho.

Em Cupira existem diversas fábricas de confecções, uma tendência entre as cidades do Agreste Pernambucano. Há grande produção de mosquiteiro e enxovais infantis. A economia aposta nas confecções, na indústria de móveis e bebidas e também no turismo, por meio do incentivo ao motociclismo com evento anual. Nas comunicações conta com três emissoras de rádio, a Nova FM, Rádio Agreste FM, a pioneira na cidade, inaugurada na década de 1980, e Cupira FM, que atendem toda a região do Agreste Meridional e outras regiões de Pernambuco e Alagoas.

As festas como a Romaria de Frei Damião, as festividades de Pe. Cícero Romão do Juazeiro do Norte, as festas juninas, a Semana da Cultura e o Enduro das Águas contribuem positivamente para a economia local. Para quem gosta de emoção e velocidade, a cidade é uma boa parada para o viajante.

A pista de motociclismo se destaca como opção de lazer como obstáculos naturais, areião, lamaçal, rios para travessia e muito mais. Cupira preserva ainda uma região de descendentes dos quilombos, o ponto Zumbi dos Palmares, no Sítio Sam Baguim, a exatos três quilômetros da cidade. As manifestações culturais do município destacam-se com a prática da capoeira e da mazurca, tradicional dança de origem europeia, mas que é largamente difundida na região.

Anualmente, em outubro, a cidade realiza a Semana da Cultura, evento coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura em parceria coma Secretaria de Educação, em que se apresentam grupos folclóricos regionais. Ao longo do ano, o município realiza diversas festas, como a Festa de Santos Reis,em janeiro, a Caminhada da Fé, procissão que sai da Igreja Matriz para o sítio Serrote Liso, a festa de São João que movimenta bastante a cidade, com atrações juninas e quadrilhas estilizadas, na avenida Miguel Pereira Neto, um dos cartões postais da cidade, além do tradicional Enduro das Águas, evento anual de motociclismo desportivo e que reúne trilheiros e apaixonados por motociclismo de todas as cidades da região, do Brasil e do exterior.

A cidade está localizada em terreno razoavelmente plano, porém é cercada de montanhas e serras. O terreno acidentado é propício às trilhas de bicicleta, de moto e ao trekking e caminhadas rurais. O município conta com cachoeiras na área rural, principalmente na divisa com o município de Belém de Maria, conhecida como Poço do Caboclo.

Na zona urbana da cidade, a Fazenda Glória, além de ponto turístico e histórico de Cupira, é a melhor opção da região para quem busca um hotel-fazenda. A decoração com retoques ingleses e típica mobília colonial é um atrativo a mais para o visitante e para os que apreciam bom gosto, sofisticação e história. Criado em 2009, o Hotel Transamérica Saraiva também é uma ótima alternativa para quem quer se hospedar no centro da cidade. Em Cupira, é com uma subida da Serra de Chico Inácio na Sexta-Feira Santa todos os anos. Dali, avista-se, em dias claros, em média, até 80 km de distância. O Olho d'Água,fonte original de água localizado na base da montanha, carece de vegetação nativa, visto que foi destruída pela ocupação irresponsável e falta de consciência ecológica.

Por Magno Martins


Rinite alérgica pode ser prevenida com medidas simples


Limpeza e arrumação na casa ajudam a controlar a alergia

Tenho um grande amigo que é dono de um cachorrinho da raça Poodle, batizado com o pomposo nome de Zeus. Talvez ludibriado pelo nome, Zeus jamais se deu conta de seu porte minúsculo e seu latido fino, pouco intimidador. Incorporando o deus grego, o cachorrinho late e rosna até para o vento. Basta ouvir passos no corredor que sai em disparada para a porta fazendo um verdadeiro escândalo.

Pois bem, sempre que penso na mucosa nasal de um paciente com rinite alérgica, lembro-me do pequeno Zeus. Por quê? Acontece que o nariz do alérgico é um pouco como o cachorrinho que faz "muito barulho por pouco". Alergia nada mais é que uma resposta exacerbada do nosso sistema imune à determinada substância, chamada de alergeno. Quem tem rinite alérgica, reage de forma exagerada a determinados estímulos, como a exposição à poeira, pólen ou ácaro. A mucosa nasal quando percebe a presença de tais substâncias vai logo inchando, produzindo secreção aquosa e causando espirros e obstrução nasal: uma reação um tanto quanto exagerada, comparável ao "escândalo' de Zeus. Com isso, a reação alérgica por si só acaba sendo mais prejudicial à pessoa que a própria substância que a desencadeou.

Já está mais que comprovado que o controle ambiental no quarto onde o paciente com rinite dorme é o que tem maior impacto na redução de suas queixas.

Acontece que, no caso da rinite, a mucosa nasal pode ficar tão 'estressada" que deixa de reagir apenas a esta ou aquela substância que causa alergia e passa a inflamar por literalmente qualquer motivo: uma mudança brusca de temperatura, variação na umidade relativa do ar, qualquer cheiro mais forte ou mesmo estresse. A esse fenômeno, cada vez mais identificado, que não depende propriamente de uma reação alérgica como a conhecemos em outros órgãos, chamamos de rinite mista. E daí vem a grande dificuldade de controlar os sintomas. Não é fácil acalmar essa mucosa nasal que chegou a esse estágio.

No mundo inteiro nota-se um aumento da incidência de rinite com o passar das décadas. Alguns estudos quantificam esse crescimento em até 40%. Nos Estados Unidos, estima-se que cerca de 50 milhões de pessoas sofram de rinite. Sem dúvida alguma, a poluição ambiental dos grandes centros urbanos está relacionada a este aumento. Mas como muitos de nós não podemos nos dar ao luxo de nos mudarmos para a floresta mais próxima, o que podemos fazer para diminuir os sintomas nasais?

Como prevenir os sintomas?

Bom, em primeiro lugar, precisamos cuidar de nossa casa. Muitas vezes não podemos evitar o ar condicionado do escritório, cujo filtro pode ter sido limpo pela última vez em 1947. Mas podemos controlar o ambiente de nossa casa, em especial o quarto onde dormimos. Já está mais que comprovado que o controle ambiental no quarto onde o paciente com rinite dorme é o que tem maior impacto na redução de suas queixas. São dicas importantes:

1) Evitar carpetes e tapetes. Dar preferência a pisos que possam ser limpos com um pano úmido, pelo menos uma vez por dia.

2) Tirar do armário do quarto roupas de inverno, cobertores e tudo que não é utilizado com frequência e que pode acumular poeira.

3) Trocar a roupa de cama uma a duas vezes por semana.

4) Manter o quarto arejado e ventilado.

5) Retirar os bichos de pelúcia do aposento.

6) Bichos de estimação não devem ter acesso ao quarto.

Se sua casa está em obra, paciência, vai ser muito difícil controlar a rinite enquanto a obra durar ou você estiver próximo a ela.

Evitar os fatores desencadeantes das crises de rinite é importante, mas nem sempre resolve. É preciso então procurar um otorrinolaringologista para uma avaliação. Isso porque nem tudo que entope o nariz é rinite alérgica. Muitas vezes trata-se de um desvio de septo ou uma sinusite crônica que estão perpetuando os sintomas e isso só o otorrino poderá dizer. Em se confirmando apenas rinite, é hora de contemplar as possibilidades de tratamento, que vão desde o uso de anti-alérgicos orais ou nasais, até a imunoterapia (as famosas vacinas). Nestes casos o otorrino avaliará o caso em conjunto com o alergista (ou alergologista).

Por último, um alerta. Usar vasoconstritores nasais (aquelas gotinhas para desentupir nariz) durante as crises é uma péssima ideia. Principalmente se as crises são frequentes. Essas medicações podem viciar o paciente e, quando usadas de forma repetida, aumentam as chances de hipertensão e outras doenças.

Prefeitura de Taquaritinga do Norte realiza reunião com comerciantes


Aconteceu na manhã de hoje (30) no Auditório Edivaldo Felix da Silva nas dependências da Prefeitura de Taquaritinga do Norte a primeira reunião com os comerciantes que negociam as margens da PE 130.

Tal iniciativa é para colocar em ação o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado no último dia 12 de julho na Câmara Municipal de Vereadores entre o Ministério Público e a Prefeitura Municipal, o qual implanta a Lei 10.454/90, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas num raio de cem metros, a partir do epicentro das escolas públicas e privadas, durante as atividades escolares.

Estiveram presentes na ocasião, os comerciantes, o prefeito José Evilásio, a Secretária de Educação Ilka Paloma, o Secretário de Obras Damião Oliveira e o Coordenador Jurídico Miguel Lucas. Onde debateram os problemas existentes e explanaram o que pode ser feito no local a exemplo de uma praça de alimentação e um calçadão bem organizado para trazer áreas de lazer à população.

Tal lei embora exista há 21 anos, só agora ela está sendo posta em prática, por iniciativa do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), como forma de combater o consumo e tráfico de crack e outras drogas, entre a juventude.

O próximo passo agora será um cadastro feito com todos os comerciantes do local e dentro de alguns dias serão marcadas outras reuniões junto com o Mistério Público para definirem o futuro das “barracas do trevo”.

“Vamos nos organizar para o progresso acontecer, buscando a melhor solução em conjunto e dentro da legalidade. Essa é a nossa é a nossa meta”, completou o Prefeito José Evilásio.

Taquaritinga do Norte foi o quarto município do interior de Pernambuco a colocar em pratica esta Lei, o que só vem constatar a preocupação do poder público em oferecer uma melhor qualidade de vida a todos os munícipes.

Henrique Figueirôa

Assessor de Imprensa e Marketing

Plástico verde ganha mercado e atrai investimentos


O produto, impulsionado pela demanda de embalagens e o apelo mundial por sustentabilidade, dá origem a um novo mercado no Brasil

Em substituição ao petróleo, a cana-de-açúcar. A migração do combustível fóssil para fonte renovável, inicialmente vista com desconfiança, ganhou novo status no Brasil menos de um ano após o início das operações da primeira fábrica local de resina fabricada a partir do etanol.

O produto, impulsionado pela demanda de embalagens alimentícias e de itens de higiene e beleza e pelo forte apelo mundial por sustentabilidade, deixou de ser visto como um concorrente direto do plástico produzido com petróleo e deu origem a um novo mercado, cujo protagonismo tende a ser brasileiro.

O primeiro passo foi dado pela Braskem, com a instalação de uma fábrica em Triunfo (RS) no ano passado e anúncio de construção de uma nova unidade de resinas em 2013. A americana Dow Chemical e a belga Solvay também têm projetos anunciados para o Brasil, todos com base na cana-de-açúcar e voltados para nichos de mercado. “Falamos de um novo produto, que precisa cada vez mais ser diferenciado do produto convencional. É um biopolímero que deve ser comparado com outros biopolímeros”, destaca o diretor de Negócios Químicos Renováveis da Braskem, Marcelo Nunes.

A produção de resinas com uso de fontes renováveis ainda é bastante restrita mundialmente, com capacidade total de pouco mais de 700 mil toneladas anuais, segundo dados da associação europeia que acompanha o mercado de bioplásticos. A Braskem é líder, com capacidade anual de 200 mil toneladas de polietilenos (PE) verdes, volume que, entretanto, representa menos de 1% da produção mundial dessa resina. O volume excedente é concentrado principalmente em países do hemisfério norte que utilizam como matéria-prima milho e trigo, entre outros produtos.

Até 2015, a produção mundial de biopolímeros deverá ter um salto de 136%, prevê a European Bioplastics, para 1,7 milhão de toneladas anuais. Caso a estimativa seja confirmada, é previsto que o Brasil seja um dos principais destaques dessa projeção.

Fábricas

O projeto da Solvay de construir uma linha de produção de PVC a partir de fontes renováveis, interrompido durante a crise econômica iniciada nos Estados Unidos em 2008, previa a produção de 60 mil toneladas anuais de eteno verde, a partir de cana-de-açúcar, e capacidade praticamente idêntica de PVC.

A Dow, cujo projeto também ficou interrompido durante a crise, mantém em sigilo a capacidade da fábrica que construirá no Brasil em parceria com a japonesa Mitsui. O plano é ter uma fábrica com escala mundial, conceito que nos padrões de resinas produzidas a partir do petróleo representa uma capacidade mínima de 300 mil a 350 mil toneladas anuais. O projeto, assim como a unidade da Solvay, será abastecido por etanol, o que deverá ampliar a representatividade do produto extraído da cana-de-açúcar na fabricação total de biopolímeros. A novidade do projeto da Dow, anunciado no mês de julho, será a integração das plantações com a usina e a fábrica de resinas.

Modelo semelhante será adotado nos futuros projetos verdes da Braskem - a fábrica em operação em Triunfo é abastecida por etanol produzido nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. Para atender a unidade, a Dow e a Mitsui construirão uma usina com capacidade de 240 milhões de litros de etanol. “Mas esse volume não atenderá a totalidade da demanda (da fábrica de resina), por isso, o projeto, que ainda está em fase de estudo de engenharia inclui também uma expansão na produção de etanol”, diz o diretor de Negócios para Alternativas Verdes e de Desenvolvimento de Novos Negócios da Dow para a América Latina, Luis Cirihal.

Pesquisas

O objetivo da Dow é, assim como a Braskem, ter um produto viável financeiramente e capaz de abrir novos mercados para a resina verde. “Falamos de um projeto a níveis competitivos globais e de uma tecnologia com espaço muito grande para avançar”, diz o executivo.

O avanço virá principalmente do desenvolvimento de novas tecnologias para a rota verde de resinas e das pesquisas sobre a cana-de-açúcar. “A produtividade comercial da cana, que em regiões mais competitivas é de 90 a 100 toneladas por hectare ao ano, poderá atingir 180 a 200 toneladas por hectare ao ano dentro de 10, 15 ou 20 anos”, diz o gerente de desenvolvimento estratégico do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Jaime Finguerut.

A cana de açúcar, segundo o especialista, tem capacidade para produzir em média o dobro de biomassa do milho, o mais próximo dentro seus concorrentes. Além das perspectivas otimistas, o ambiente atual de preços elevados do petróleo também é um ponto favorável à produção de resinas verdes. “Acredito que o etanol como substituto da gasolina é perfeitamente viável com o petróleo entre US$ 40 e US$ 60 o barril. Hoje, com a alta de custos do etanol, essa janela está mais para US$ 60”, diz o gerente do CTC.

Por Agência Estado

Prestes a entrar em vigor, ponto eletrônico ainda gera polêmica


Por determinação do Ministério do Trabalho, a obrigatoriedade da utilização de um novo sistema de relógio ponto aos trabalhadores brasileiros passa a vigorar a partir de amanhã, 1 de setembro. A implementação já foi adiada duas vezes. As regras começariam a valer no dia 26 de agosto de 2010, depois foram transferidas para 1 de março de 2011 e novamente postergadas em função da polêmica. A Portaria 1510/2009 obriga empresas com mais de 10 funcionários que já utilizem um registrador eletrônico a utilizar o novo equipamento, o Registro Eletrônico de Ponto (REP), que entre outros sistemas de segurança, possibilita ao empregado imprimir um comprovante do horário de entrada e saída do trabalho. Porém, na semana passada, dia 24 de agosto, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania rejeitou um item da Portaria que prevê a obrigatoriedade da impressão do comprovante. O Projeto de Decreto Legislativo (PDS 593/10) foi aprovado em decisão terminativa. O argumento dos deputados baseia-se no alto custo para as empresas que são obrigadas a adquirir um novo equipamento para imprimir o comprovante.

De acordo com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), cerca de 700 mil empresas em todo o Brasil utilizam sistema eletrônico, mas, segundo o Dieese, apenas 100 mil delas trocaram o programa para o novo formato.

Desde a edição da portaria, entidades representativas do empresariado, dos trabalhadores e dos juízes trabalhistas estudam as propostas de software adequado para o ponto. Mas, por falta de acordo entre as partes envolvidas e o Ministério do Trabalho, a obrigatoriedade do REP vem se arrastando. Apesar das divergências, governo e empresas que se adequaram às exigências acreditam que o novo sistema de controle de jornada diminuirá as inúmeras reclamações trabalhistas, pois esta é a razão pela qual o REP foi desenvolvido, de modo a diminuir os processos nos tribunais regionais.

As informações internas do registrador podem ser retiradas do computador do relógio apenas com um pendrive colocado na entrada USB. E quem pode coletar os dados é somente o responsável pela área de Recursos Humanos da empresa ou o fiscal do Ministério do Trabalho. De acordo com dados do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região do Rio Grande do Sul, em 2010, as 115 Varas do Estado registraram 125.455 processos trabalhistas. Neste ano, até 31 de julho, as reclamações alcançavam 79.952 processos em primeiro grau.

O presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da IV Região, Marcos Fagundes Salomão, tem convicção de que o REP irá reduzir as reclamações trabalhistas. Segundo ele, cerca de 50% das demandas incluem pedidos referentes a pagamento de horas extras. “O sistema tradicional contém falhas exatamente pelo fato de ser o empregador o único detentor do registro. Isso ocasiona contestações, sendo comum a produção de prova testemunhal para demonstrar o horário de trabalho, em que pese haver registro”, observa. O juiz explica que o empregado terá o seu comprovante e deverá guardá-lo para eventual discussão acerca do pagamento das horas trabalhadas. “Essa é a grande inovação e é um avanço”, justifica, seguro de que os empresários irão adotar o sistema.

Matéria de Gilvânia Banker

do JC de Porto Alegre

Brasil já é o maior produtor de café sustentável do mundo


O Brasil produz hoje o maior volume de cafés certificados do mundo; em verdade, o país é a maior fonte de cafés sustentáveis do planeta. A constatação foi feita durante reunião do conselho da iniciativa de sustentabilidade UTZ realizada no país no último final de semana. O país também se destaca como maior fornecedor mundial de cafés certificados Utz, com vendas que somaram 1 milhão de sacas de café com a certificação UTZ em 2010.

Entre todos os cafés UTZ comercializados no mundo, provenientes de 23 países produtores que adotam as boas práticas agrícolas e os critérios ambientais e sociais estabelecidas pela UTZ Certified, 38% são do Brasil, 22% são do Vietnã e 18% são de Honduras. O mercado interno também começa a se conscientizar da importância da certificação; no ano passado aproximadamente 200 mil sacas de café certificado Utz foram comercializadas dentro do Brasil e utilizadas pela indústria para preparar cafés vendidos a consumidores brasileiros.

Entre as considerações feitas pelo conselho durante sua reunião está a necessidade de ampliar o sistema de suporte aos produtores brasileiros, tanto de arábica quanto de conilon, e de desenvolver mais marcas de café com a certificação UTZ no mercado interno, similar ao que já vem sendo feito pelos cafés especiais. Lançado recentemente, o Café Pilão Origem é um exemplo de produto nacional que possui o selo UTZ, um projeto decorrente de parceria da Sara Lee com a UTZ e o Wal Mart.

Além de café, a UTZ também trabalha com a certificação de cacau e chá, e realiza a rastreabilidade de óleo de palma africana (dendê), entre outros produtos. A UTZ foi fundada em 1997 e hoje está presente em mais de 60 países ao redor do mundo.

Luciana Franco

Touro São Valentim tem 5 anos e pesa 1,3 mil kg


Quando se fala no Brasil em ganho de peso de bovinos, o gado devon dá um banho. São Valentim 1440, touro da raça, tem apenas cinco anos de idade e está pesando hoje incríveis 1,3 mil quilos, ou seja, bem acima de uma tonelada.

Assim, não deu outra: São Valentim, pertencente à gaúcha Cabanha Santa Lúcia, é o touro mais pesado da Expointer 2011, feira que está sendo realizada em Esteio, cidade próxima a Porto Alegre. “É a coroação de um trabalho realizado por nós há anos”, afirma Sueli Hoffmann, proprietária da Santa Lúcia, que fica no município de André da Rocha.

A raça devon é originária do Reino Unido. Produtora de carne, é considerada rústica e bastante fértil, características que a fazem ser muito utilizada para cruzamentos com zebuínos, como o nelore.

Sebastião Nascimento

(foto: divulgação/Secret. da Agricultura-RS)

Espanha terá cemitério-laboratório para congelamento de corpos


Foram anunciados na Espanha planos para a criação do Cemitério-Laboratório Ibero-Americano de Criopreservação, onde corpos podem ser congelados na esperança de que a ciência descubra meios de ressuscitá-los.

O cemitério, que ainda não tem data para ser construído, terá capacidade para receber 500 corpos e custará R$ 100 milhões, financiado por interessados de alto poder aquisitivo, segundo Francisco Roldán, diretor da recém-criada Associação Ibero-Americana de Criopreservação, entidade que reúne quase cem médicos.

Roldán, que não é médico mas formado em ciências políticas, diz que o financiamento é garantido por interessados de alto poder aquisitivo que não só desejam viver eternamente, como ainda esperam se beneficiar das descobertas científicas futuras para estar sempre jovens.

"Ficção científica? Se quiserem chamar assim, pois que chamem. Milhares de anos atrás os homens sonhavam voar e não imaginavam que um dia o faríamos em um avião" disse ele à BBC Brasil.

"Hoje ressuscitar pode parecer a mesma utopia. Mas quem pode limitar os avanços da ciência?", completa Roldán.

O investimento, sem garantias, custa em torno de R$ 140 mil por cadáver. É o preço para ter o corpo congelado sob uma temperatura de 196 graus abaixo de zero em um caixão de alta tecnologia industrial.

Nitrogênio

A nova instituição está baseada em técnicas inventadas nos Estados Unidos. Será aplicada pela primeira vez em outro país, com a intenção de aglutinar cientistas, estudiosos e clientes também da América Ibérica.

O cadáver é conservado em uma espécie de urna de aço com um gerador de nitrogênio líquido projetado pelo engenheiro da associação, Alberto Sarmentero que afirma ser "capaz de manter o corpo em bom estado durante aproximadamente um século".

Mesmo sem perspectivas de ter alguma base científica que comprove que a ressurreição é viável, os quase cem integrantes da associação já tem tudo de que precisam para criar o futuro cemitério-laboratório.

Implantado na serra de Madri, o espaço contará ainda com laboratórios de investigação científica, armazéns de materiais biotecnológicos, bancos de DNA, centro de conferências e um hospital para doentes em fase terminal.

Entre esta fase final de vida e a tentativa de ressurreição o tempo é fator fundamental.

"Com estas técnicas corremos contra o relógio. Assim que se constata a morte legal, o cérebro continua enviando impulsos elétricos durante uns instantes. E é durante este tempo quando aplicamos a vitrificação", explicou Roldán.

Críticas

O conceito de cemitério-laboratório, no entanto, não tem consenso entre os cientistas espanhóis.

"Não há um só indício de que esta ressurreição seja possível", afirmou à BBC Brasil o pesquisador Ramón Risco Delgado, chefe do Departamento de Criopreservação da Universidade de Sevilha.

"Em mais de 50 anos de tentativas, no máximo a ciência conseguiu reviver o rim de um coelho e o útero de um rato. Conservar um cadáver humano congelado com a esperança de ressuscitá-lo no futuro não tem sentido. É um engano absoluto", diz ele.

O doutor em Ciências Físicas e vencedor do Prêmio Nacional de Saúde da Espanha no ano 2000 foi dos poucos que conseguiu um mínimo resultado de ressurreição laboratorial de um Caenorhabditis elegans, um tipo de minhoca (nematódio) de um milímetro de comprimento que normalmente vive por apenas 10 dias.

Mas a Associação Ibero-Americana de Criopreservação argumenta que os primeiros sinais das possibilidades de ressurgir já existem, e usam o exemplo dos óvulos humanos para fecundação.

Já o porta-voz da Comissão de Ética da Organização Médica Nacional disse à BBC Brasil que "não se trata de impedir os avanços da ciência, nem de criar falsas expectativas. Mas de saber quais são os limites médicos, humanos e até divinos, se for o caso".

De Madri para a BBC Brasil

Cinco estratégias para melhorar seu brainstorm


Hoje foi dia de reunião de pauta, aquele momento em que nos reunimos para definir o que será produzido para as próximas edições da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios. É a hora em que deixamos as ideias fluírem e tentamos espremer o máximo de criatividade de cada um. Você, empresário que prima pela inovação e por boas ideias, deve conhecer bem momentos como esses, mas com um nome diferente: as reuniões de brainstorm.

Nem sempre é fácil ter ideias geniais – horas de conversa podem muitas vezes resultar apenas em frustração. Então o mote é partir para a luta. Para ajudar seus leitores empreendedores, a revista Inc. listou algumas estratégias que facilitam esse tipo de reunião. Abaixo você confere cinco:

1) Vamos a la playa

A fundadora da empresa de design de games Morphonix, Karen Littman, aconselha a esquecer a mesa de conferência e ir para algum lugar mais inspirador. “Duas vezes por ano, nós alugamos uma casa de praia. Acredito que estar fora do escritório já inicia o processo criativo e estimula que você saia do lado esquerdo do cérebro”, afirma. Ou seja, mudar o ambiente pode tirar o funcionário de sua zona de conforto, dos seus comportamentos habituais e estimular a criação e inovação. Se você não tem dinheiro para algo mais elaborado, por que não um bar ou um restaurante?

2) Os tomadores de decisão também têm de participar

Para Steven Pritzker, professor de psicologia da Universidade de Saybrook, o brainstorm sempre fica mais eficiente se você coloca as pessoas que efetivamente tomam as decisões junto com os outros funcionários, na mesma sala. Para Pritzker, os executivos podem dizer na hora se uma ideia os agrada, e esse feedback estimula uma participação maior.

3) Tome uma ducha

O instrutor de comédia Geoff Garlock, do New York City’s Upright Citizens Brigade Theatre, recomenda uma boa ducha antes de começar a reunião. Durante o banho, a mente fica mais relaxada e as ideias surgem. Como não é nada prático sair de uma reunião para entrar debaixo do chuveiro, os funcionários podem usar essa tática para criar e depois trazer os novos conceitos para a empresa. Sem aparecer na reunião enrolado em uma toalha e com um pato de borracha, claro.

4) Faça todos se comportarem como seus consumidores

Karen, da Morphonix, diz que, quando quer tirar algo novo dos colaboradores, ela faz com que todos se comportem como os consumidores da empresa. No caso da sua, crianças. Esse processo pode fazer com que você pense fora da caixa.

5) Faça reuniões individuais

Em encontros com a equipe toda, algumas ideias podem ser minadas. Os colaboradores podem se sentir mais confortáveis ao exporem algumas das ideias sozinhos, e não na frente dos pares.

Por Rafael Farias Teixeira

VIVENDO UMA VIDA SAUDÁVEL



Cada dia que passa o bem mais precioso que o ser humano tem que é a saúde vai sendo deixada de lado, e o cotidiano das pessoas vai se transformando, sendo tomado por trabalho, responsabilidades familiares, tarefas paralelas, etc. Manter um ESTILO de vida SAUDÁVEL é muito importante para amenizar esse stress tão comum em nossos dias. Isso começa por manter hábitos saudáveis; tanto no cotidiano – trabalho, lazer, vida familiar, quanto na alimentação.

Este estilo de vida saudável hoje não é uma coisa de outro mundo, mesmo com uma vida corrida dá para incluir alguns bons hábitos. A atividade física é uma boa indicação de hábito saudável, mas apesar de toda ênfase da mídia, focando a atividade física para manutenção de uma vida saudável, cada vez mais a população apresenta problemas relacionados com a falta de exercícios.

Para ressaltar o papel da atividade física basta comparar um pessoa ativa fisicamente de 30 anos com um inativo de mesma idade. Quando comparados a diferença em ternos de índices fisiológicos são consideráveis as marcas, mas o que reflete em termos de qualidade de vida é que o ativo provavelmente terá maior mobilidade, mais disposição, mais flexibilidade, menos disposição para doenças e maior capacidade aeróbia, tão importantes em sua vida diária.

Portanto a atividade física só traz benefícios para a vida do ser humano. Pratique exercícios que você sinta prazer e que sejam orientados por um profissional de Educação Física.


Por Marcelo Bezerra

Rota do Mar lança sua coleção Verão com passeio ciclístico

FAÇA SUA INSCRIÇÃO NO STAND NA AV. 29 DE DEZEMBRO
NA FÁBRICA DA ROTA DO MAR E COM OS PATROCINADORES
INFORMAÇÕES: 81-3759.8300

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Evangélicos se engajam na Educação do Trânsito




Parte da equipe da organização da Marcha pra Jesus em Santa Cruz do Capibaribe, que este ano acontece dia 10 de setembro, estiveram se organizando e decidiram ir as principais avenidas da cidade, com total apoio do Departamento de Trânsito Municipal e presença dos Agentes e do Diretor de Trânsito Valdeni Aragão, realizar panfletagens com orientações educativas que incentivam e alerta a população quanto ao uso do cinto de segurança, capacete e mais informações sobre o comportamento ao conduzir veículos motorizados. “Esta é a primeira vez que registramos uma equipe de evangélicos a realizar esta blitz informativa e esperamos que outras pessoas sigam este boom exemplo”. Salientou Valdeni Aragão. Esta iniciativa tem a colaboração da prefeitura e parcerias com alguns empresários que tem uma visão e responsabilidade com o social.

Consumo mundial de suco de laranja cai 5,3%


Mercados tradicionais apontam queda no consumo, mas em países emergentes, o suco de laranja está em alta

Consumidores dos tradicionais mercados consumidores de suco de laranja brasileiro estão deixando de tomar a bebida. Um estudo encomendado pela CitrusBR, com dados da Tetrapack e Euromonitor copilados pela consultoria Markestrat, aponta que a queda chega a 5,3% nos últimos sete anos. A queda, segundo o estudo, se deve à concorrência com bebidas como energéticos e isotônicos.

De acordo com a pesquisa, que observou os 40 principais países compradores da bebida, a redução é equivalente a 127 mil toneladas. Esse número é maior do que o total consumido em 2010 pelo Canadá. Somente nos Estados Unidos, principal comprador de suco de laranja, o recuo de 2009 para 2010 foi de 5% (42 mil toneladas a menos). Este volume equivale ao total de suco industrializado consumido no Brasil em 2010.

Em mercados importantes como a Alemanha e o Reino Unido, nos últimos sete anos, a queda foi de 22,8% e 2,5% respectivamente. As perdas são de US$ 254 milhões, e afetam toda a cadeia produtiva. Segundo o presidente da CitrusBR, Cristian Lohabauer, o cenário é desafiador e exigirá uma renovação da indústria. “É um momento para o setor se reinventar. Precisamos entender as mudanças no mercado para implantar ações e continuarmos competitivos”, explica.

O estudo demonstra que apesar da queda acentuada nos principais mercados, houve crescimento na demanda em países emergentes como Brasil, Rússia, Índia e China, que formam o grupo BRICs, e também, no México. Nesses mercados houve aumento de 41% (78 mil toneladas de suco de laranja). Mas o crescimento não compensa as perdas, já que nos outros 35 principais países a queda de 9,2% representa um recuo de 204 mil toneladas. Isso se dá, principalmente, porque os países com menor renda consomem o suco de laranja de forma diluída, como néctares e principalmente refrescos. “Os países emergentes estão elevando o consumo, mas é um movimento lento que vai levar um tempo para se consolidar, exige altos investimentose mudanças nos hábitos de consumo”, comenta Lohabauer.

No caso da China, houve um aumento de 99% no consumo, o equivalente a 44 mil toneladas. Embora os números sejam expressivos, estão longe de compensar a queda em outros mercados. Somente na Alemanha, foram 58 mil toneladas a menos no mesmo período. Em 2010, o consumo total chinês representou aproximadamente 10% do consumo americano no mesmo ano.

Outros países que demonstram boas taxas de crescimento são Argentina e Chile. O consumo de suco na Argentina saltou de 4 mil toneladas em 2003, para 17 mil toneladas em 2010, crescimento de 358%. O Chile registrou crescimento vigoroso de 2003 a 2010, indo de 6 mil toneladas para 11 mil. “A proximidade do Brasil, o Mercosul e possíveis facilidades de transporte poderiam trazer vantagens competitivas no caso de investimentos para o desenvolvimento desses mercados”, ressalta Lohbauer.

Onde mais caiu

Países da Europa, com alto consumo de suco de laranja, mostram uma queda importante

De 2003 a 2010

Estados Unidos: -19% = 194 mil toneladas

Alemanha: -22,8% = 58 mil toneladas

Reino Unido: -2,5% = 3 mil toneladas

Japão: -18% = 23 mil toneladas

Onde cresceu

Países em desenvolvimento com baixo consumo apresentam bom desempenho

De 2003 a 2010

Rússia: 63,8% = 84 mil toneladas

China: 99% = 88 mil toneladas

Marrocos: 743% = 5 mil tonelados

Argentina: 358% = 13 mil toneladas

Indonésia: 212,8% = 6 mil toneladas

Romênia : 162,7%= 4 mi toneladas

Resultado: Somando todas as perdas com todos os ganhos, o mundo bebe 127 mil toneladas a menos de suco de laranja concentrado-equivalente, o que equivale ao consumo total da França durante um ano.

Por Globo Rural On-line

Especialistas querem incentivar cogumelos comestíveis no Brasil


Atualmente, o consumo no país por habitante é cerca de 160 gramas por ano

Especialistas de cinco países (Argentina, Brasil, China, Coreia do Sul e Holanda) participam do 6º Simpósio Internacional sobre Cogumelos no Brasil, que acontece nesta segunda-feira (29/8) e vai até a próxima quinta-feira (1/9), em Brasília. O objetivo é trocar experiências científicas sobre o cultivo de cogumelos comestíveis, assim como mostrar os benefícios desse alimento.

Segundo a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Arailde Urben, atualmente, o consumo dos cogumelos comestíveis no Brasil por habitante é cerca de 160 gramas por ano. “A nossa meta é aumentar [o consumo], pois os cogumelos têm quantidade de proteínas quase equivalente à da carne, além de serem ricos em vitaminas, carboidratos, sais minerais, fibras e ter baixo teor de gordura”, disse.

De acordo com ela, na China, o consumo per capita chega a 10 quilos. “O simpósio será uma ótima oportunidade para divulgar a importância dos cogumelos comestíveis para a nutrição humana e incentivar o seu consumo pela população brasileira.”

O evento é organizado pela Sociedade Brasileira de Fungicultura (SBF), com o apoio institucional da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O encontro contará com a presença de profissionais formados ou graduandos e pós-graduandos dos cursos de agronomia, ciências biológicas, engenharia florestal, biotecnologia, genética e nutrição, além de produtores rurais, extensionistas e empresários. São esperadas durante os quatro dias cerca de 300 pessoas.

Por Agência Brasil

Suplementação alimentar de bovinos é fundamental em período de seca


A suplementação repõe os nutrientes que o pasto perde na época de estiagem; isso evita que o rebanho perca peso

Em época de estiagem, com período mais crítico de junho a setembro em boa parte do Brasil, a quantidade e a qualidade das pastagens fica limitada. Com a seca, o capim tem um crescimento menor e fica com o valor nutricional reduzido. Por isso, é fundamental que os produtores rurais planejem, com antecedência, as técnicas de suplementação animal para não serem surpreendidos neste período, o que pode comprometer o desempenho dos animais criados no pasto.

Os principais prejuízos são causados pela diminuição do crescimento e perda de peso dos animais, diminuição da produção de leite e na taxa de fertilidade, elevação da taxa de mortalidade e maior predisposição a doenças.

Segundo o pesquisador da Embrapa Rondônia (Porto Velho), Claudio Ramalho Townsend, a suplementação alimentar, durante a estiagem, é essencial para atenuar esses problemas e proporcionar ao animal uma alimentação adequada. Entre as alternativas práticas e economicamente viáveis para alimentar o rebanho neste período estão a utilização de cana-de-açúcar e uréia; capineiras; bancos de proteína; diferimento de pastagens e silagem.

Cana-de-açúcar e uréia

A mistura cana-de-açúcar e uréia é um suplemento alimentar que serve como fonte de energia. A pesquisadora da Embrapa Rondônia, Ana Karina Salman, explica que a adição da uréia à cana é indicada para corrigir o baixo teor de proteína do vegetal. O produtor deve tomar cuidado, no entanto, para não adicionar mais uréia do que o necessário.

Capineira

O capim-elefante tem sido muito utilizado para a produção de capineira. De fácil cultivo, a planta é resistente a pragas e doenças, produz bastante forragem, tem alto valor nutritivo e boa palatabilidade. Deve ser manejada no período chuvoso para não perder sua proteína.

Bancos de proteína

As leguminosas contêm muita proteína e apresentam facilidade de digestão, além disso, pela capacidade de fixação do nitrogênio da atmosfera, incorporam quantidades consideráveis deste nutriente, contribuindo para a melhoria da fertilidade do solo. As leguminosas podem ser plantadas em piquetes exclusivos denominados bancos de proteína.

Diferimento de pastagens

O diferimento consiste em suspender a utilização da pastagem entre meados e o fim do período chuvoso para favorecer o acúmulo de forragem a ser utilizada durante a época seca. “A utilização deve ser bem planejada para que esta área não seja vulnerável a focos de incêndio”, orienta Townsend.

Silagem

Outra alternativa recomendada para enfrentar a estiagem é a produção de silagem que apresenta mais independência em relação às condições climáticas, resultando em menores perdas e na possibilidade de mecanização de todo o processo, incluindo cultivo, colheita, transporte, ensilagem, remoção e distribuição da silagem. O milho e o sorgo, pela facilidade de cultivo, elevados rendimentos e, principalmente pela qualidade da forragem, são as espécies mais apropriadas para essa produção.

Por Globo Rural On-line

Empresas que optarem por funcionar no dia 07 de setembro terão de fazer acordo coletivo de trabalho


As empresas de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, que quiserem funcionar no dia 07 de setembro, feriado referente ao dia da Independência, precisarão fazer o acordo coletivo de trabalho, junto a Federação do Comercio (FECOMERCIO).

A jornada de trabalho deve ser apenas de 8 horas diárias, não podendo ultrapassar 44 horas semanais. Além do acordo de trabalho, o empresário precisa pagar ajuda de custo ao colaborador, referente a deslocamento e auxílio alimentação.

As empresas do COMÉRCIO estabelecidas em SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE que vierem a funcionar no FERIADO NACIONAL DO DIA 07 DE SETEMBRO DE 2011 devem recolher sem ônus para os empregados, nos meses em que vier a funcionar, o ENCARGO OPERACIONAL PROFISSIONAL, em favor do SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE BENS E SERVIÇOS DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE, SURUBIM E TORITAMA na proporção de R$5,00(cinco reais), por empregado que venha a trabalhar no feriado.

Em relação ao encargo patronal, as empresas do COMÉRCIO que vierem a funcionar e praticar vendas no FERIADO NACIONAL DO DIA 07 DE SETEMBRO DE 2011 ficarão obrigadas a recolher o valor a título de ENCARGO OPERACIONAL PATRONAL, em favor da FECOMÉRCIO/PE (CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, OPERAÇÃO 003, AGÊNCIA 0923, CONTA CORRENTE 2336-4), conforme tabela abaixo:

Nº de empregados:

Até 10 – R$ 30,00

De 11 até 40 – R$ 50,00

Acima de 41 – R$ 100,00

Você empresário que quiser abrir o seu comércio no dia 7 precisa enviar via sedex para o endereço: Rua do Sossego, 264, Boa Vista, Recife - PE, CEP 50.050-080, responsável o Sr. Ricardo Sobral (Setor Sindical), ou por email (digitalizar documentos): sindical5@fecomercio-pe.com.br - at. SETOR SINDICAL - RICARDO SOBRAL, ou ainda por fax: 81 -3231-5393 // 3222-9498.

Só lembrando que antes esta documentação era entregue na CDL, mas de acordo com nova resolução da FECOMERCIO, o requerimento deve ser encaminhado diretamente para a FECOMERCIO.

Evite problemas com o Ministério do Trabalho. Faça a sua parte!

Betto Aragão

Torneio reúne os melhores escultores de areia do mundo



Evento acontece em Washington, nos Estados Unidos

Até o dia 5 de setembro, quem visitar Washington, nos Estados Unidos, poderá conferir a produção de lindas esculturas de areia. A capital americana foi escolhida para sediar o World Sand Esculpting, o torneio mundial de esculturas na areia.

O evento reúne os vencedores do Campeonato Mundial de Esculturas, que aconteceu no ano passado, na mesma região. Os competidores foram reunidos em três categorias: solo, duplas e equipe. Eles lutaram contra o tempo para produzir as imagens gigantes de areia.

Além da exposição das melhores esculturas do ano passado, o torneio promove competições entre escultores amadores, espaço para recreação infantil, além de praça de alimentação. O ingresso para adultos custa o equivalente a R$ 13.

A programação completa de atividades está disponível nosite oficial do torneio.

Da Redação

Controle as suas emoções


Na semana passada, eu estava demasiadamente atarefada com um projeto da faculdade para conseguir me formar no final do ano. Eu tinha 20 dias para escrever um livro que havia começado a apurar em abril desse ano. O tempo passava, e a temida data para entregar o meu trabalho se aproximava. Em momentos como esse, é comum estarmos com os nervos à flor da pele e bastante preocupados. Afinal, quem não tem medo de falhar?

Pensando sobre esse assunto, descobri dicas valiosas para conseguir manter o controle e enfrentar momentos de grande emoção e adrenalina. As emoções não se misturam bem com os negócios ou mesmo com a vida profissional. Não importa se uma pessoa está triste, feliz, estressada ou preocupada – para que não ocorram erros no momento de uma tomada de decisão ou na conclusão de um importante projeto, é preciso manter a calma e, principalmente, usar a lógica. Neil Patel, empreendedor inglês e cofundador das empresas Crazy Egg e KISSmetrics, escreveu em seu blog Quick Sprout alguns conselhos para que empresários consigam controlar as suas emoções e obter negócios com um sucesso cada vez maior. Essas dicas podem ajudá-lo a ter a calma necessária para fechar o tão sonhado contrato.

1. Tenha os pés no chão

No caso de receber uma notícia ruim ou que não atinja todas as suas expectativas, o empreendedor não pode ficar deprimido. Ele deve pensar que nos demais negócios ou empresas existirão sempre empresários com problemas maiores e mais complexos que os seus. Caso a notícia seja positiva, o empreendedor também não pode acreditar que a batalha esteja ganha. Deve pensar que o acontecido é ótimo para os seus negócios, porém que é preciso ter a consciência de que outros empresários estarão conquistando feitos maiores que os seus.

Para controlar as suas emoções, empreendedores devem comemorar as vitórias, aprender com os fracassos e sempre desejar experimentar mais conquistas. Isso permitirá ao empreendedor não ficar feliz ou pessimista em excesso.

2. Evite pessoas muito emocionais

Aqueles que estão à nossa volta são responsáveis por influenciar as nossas atitudes e pensamentos. Por isso, para que projetos atinjam o desejado sucesso, é importante cercar-se de pessoas centradas, uma vez que estar rodeados de amigos com grandes dramas emocionais podem deslocar a atenção do empresário e até mesmo deixá-lo irritado ou perturbado.

Isso não quer dizer que o empreendedor deva cortar os laços de amizade ou companheirismo com aqueles que estão com problemas. Ele deve apenas conseguir certo grau de distanciamento para que o problema dos outros não prejudique o desempenho dos negócios e a tomada de decisão.

3. Amigos, amigos, negócios à parte

Durante o tempo de trabalho, é importante estar com todas as energias e pensamentos voltados para o sucesso do negócio. O empreendedor deve mostrar para os seus amigos e familiares que não precisa ser incomodado com besteiras enquanto está no dia a dia da empresa. Mas é valido ressaltar que essas pessoas devem procurá-lo quando tiverem informações úteis para serem discutidas. Do contrário, as conversas informais e as brincadeiras devem ficar exclusivamente para os momentos de lazer e diversão.

4. Não cante vitória antes da hora

O anúncio de um novo contrato mexe com as emoções de qualquer empresário. Para brindar a conquista, muitos fazem “happy hour”, festinhas na empresa ou mesmo almoços com sócios. Mas, antes que o contrato esteja devidamente assinado e parte do dinheiro esteja depositado na conta da empresa, é preciso ficar atento e evitar grandes comemorações. Isso fará com que o empreendedor esteja preparado emocionalmente caso alguma coisa dê errado e os planos não aconteçam da maneira que foi prevista.

E você, empreendedor, como faz para controlar as emoções e manter o equilíbrio?

Por Patrícia Machado

A Presidente Dilma Rousseff visita Cupira




O prefeito Sandoval Luna, convidou o povo cupirense para receber a presidente Dilma Rousseff e o governador Eduardo Campos, nesta terça-feira (30/08).
Eduardo e Dilma irão dar o pontapé inicial a construção das duas barragens, Panelas II e Gatos no município de Cupira, e assinam o convênio do Programa de Financiamento de Contrapartida das Obras do PAC.
As barragens Panelas II e Gatos fazem parte do Plano de Contenção de Enchentes do Governo do Estado e serão as primeiras a sair do papel. Juntas, vão custar R$ 65 milhões, dos quais R$ 50 milhões serão bancados pela União e o restante pelo Estado, que irá beneficiar diretamente os municípios da Mata Sul, atingidos pelas enchentes do ano passado.
Após a chegada da comitiva presidencial, na quadra poliesportiva, serão recepcionados pelas autoridades locais, depois sobrevoarão o local de construções das barragens. Na volta, o prefeito Sandoval Luna, o governador Eduardo Campos e a presidente Dilma Rousseff farão um pronunciamento ao público presente.
Fonte: http://www.cupira.pe.gov.br

Convite IV Workshop da Governança do APL de Confecçoes



Temos a honra de lhe convidar para participar do IV Workshop da Governança do APL de Confecções, que tem o objetivo de promover uma discussão com os diversos atores do APL (instituições de apoio, universidades, empresários da cadeia e outros) sobre as dificuldades e problemas que interferem no desenvolvimento e profissionalização das empresas. Pretende-se que o fruto desse trabalho seja um conjunto de ações que atendam aos gargalos do setor e que possam nortear a atuação do SEBRAE, SINDIVEST/PE, Associações Empresarias locais e todas as demais entidades parceiras atuantes no APL de confecções do agreste.

O IV Workshop será realizado no próximo dia 01 de setembro de 2011, das 13 às 19h no auditório do ITEP / CTM – Centro tecnológico da Moda, e, na seqüência, as 19:30h será oferecida uma palestra aos participantes do workshop e ao público em geral, prioritariamente do setor de confecções, sobre o tema Copa 2014 - Oportunidades e Desafios para o Setor de Confecções.

A palestra apresentará diversos aspectos sobre a Copa 2014 e trará dados sobre as MPEs sulafricanas na Copa de 2010 e será realizada pelo consultor Johann Wolfgang Schneider consultor do SEBRAE Nacional e da Organização Mundial de Comércio (OMC), com mais de 20 anos de experiência em Pesquisa de Mercado, Marketing Estratégico e Internacional.

Inscrições na ASCAP ou pelos fones: (81) 3721-6799 / 9601-1327 com Aline Karla

Local do evento:

ITEP / CTM – Centro Tecnológico da Moda

Rua Dalton Santos, 319 – São Francisco – Caruaru/PE

CDL forma quinta turma de Empretecos em Santa Cruz do Capibaribe



Santa Cruz do Capibaribe é uma cidade constituída de muitos empreendedores natos. Isso é um fato que desde os anos 40, começou a ganhar destaque face ao desenvolvimento econômico do município, com o surgimento da cultura confeccionista de vestuário. Mas, esse empreendedorismo precisa ser lapidado e pensando nisso, a CDL da cidade, diante de suas muitas parcerias com outras entidades, dentre elas; o SEBRAE.

O Seminário Empretec foi apresentado em Santa Cruz do Capibaribe em 2010, e já formou cinco turmas na cidade, contabilizando com a turma formada na semana passada. Foram 23 pessoas que se entregaram ao mundo do conhecimento empresarial do Empretec. As aulas aconteceram na sede da CDL.

Fábio Lopes, presidente da entidade, falou sobre a satisfação de ver mais uma turma de empretecos na cidade. “Eu estou muito feliz em ver mais uma turma formada e tenho uma novidade para vocês. Ainda este ano iremos ter o primeiro encontro de empretecos da cidade. Já conversei com a Gestora do SEBRAE, Débora e ela já sinalizou apoio do SEBRAE. Desde já se sintam convidados”, disse o presidente.

A primeira participante a tornar-se empreteca, Roberta Bastos, da empresa Sinha Cabeleireiros, disse que o empretec é um seminário fantástico. “É um seminário muito intenso, que realmente forma empresários em verdadeiros empreendedores. Eu pretendo implantar todo conhecimento adquirido aqui na minha empresa, para estar sempre a frente e buscando a excelência dela”, pontuou a empreteca.

Betto Aragão - Assessoria de Comunicação da CDL e ASCAP

Embaixada brasileira nos EUA foi grampeada, mostram documentos revelados por jornal



As relações diplomáticas entre o Brasil e os Estados Unidos tiveram uma série de incidentes na década após a redemocratização brasileira. A Folha de S.Paulo revelou, neste domingo (28), telegramas inéditos enviados pela embaixada brasileira em Washington ao Itamaraty, de 1990 a 2001. Os documentos fazem parte das 10.883 páginas sigilosas de arquivos do Ministério das Relações Exteriores a que o jornal teve acesso e tornou disponível no projeto Folha Transparência.

Entre os conteúdos revelados, estão os relatos de que a embaixada brasileira nos Estados Unidos foi grampeada, em 2001.

O embaixador Rubens Antonio Barbosa contou, em recado para o então ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, que “descobriu-se o que pareceria ser uma ligação telefônica direta entre o prédio da Chancelaria [brasileira] e o Departamento de Defesa norte-americano”.

“A ligação opera à semelhança de um ramal interno, isto é, ao se discar o dígito ’0′ atende uma telefonista daquele órgão do governo dos EUA”, relata Barbosa.

Dez anos depois da interceptação, Barbosa revelou à Folha ter levado o assunto ao Departamento de Estado norte-americano. A reação, segundo ele, foi de silêncio absoluto. “Nunca ninguém passou recibo de quem era o autor, do que queriam ou o que estavam querendo de nós.”

Por Liuca Yonaha – Do Época

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Santa Cruz vai receber Alepe Itinerante em Homenagem ao centenário de Raimundo Aragão


Uma comissão de representantes de diversos segmentos da Assembleia Legislativa de Pernambuco esteve, nesta sexta, 26, visitando a escola estadual Padre Zuzinha para acertar os últimos detalhes da transferência do Poder Legislativo para Santa Cruz do Capibaribe, que acontece no próximo dia 20.

A proposição foi idealizada pelo deputado Diogo Moraes, e tem o objetivo de homenagear o centenário de Raimundo Aragão, prefeito com visão empreendedora a frente do seu tempo que deixou sua marca na história da localidade.

Diogo Moraes explicou o quanto é importante a vinda do Poder Legislativo por um dia para a Capital das Confecções, pois, a cada legislatura, apenas em duas ocasiões esta ação pode ser realizada. “Além de aproximar o Legislativo da população, também prestamos uma justa homenagem ao homem que percebeu o potencial de nossa terra e até hoje é uma referência de homem público não só para Santa Cruz, mas, para todo nosso país”, frisou o parlamentar.

Notas

Visitantes – Entre os membros visitantes da Alepe estiveram os representantes do Cerimonial, Departamento de Informática, Assessoria Militar, Superintendência Administrativa, Comunicação Social entre outros órgãos. Todos, no intuito de preparar a Escola Padre Zuzinha para a realização do evento que só acontece em duas ocasiões por legislatura.

Programação – Na manhã do dia 20 será realizada uma Audiência Pública da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa que debaterá a carga tributária entre outros assuntos estratégicos da pasta econômica para a região do Pólo das Confecções. À Tarde, a população vai poder acompanhar de perto as atribuições do Legislativo com a Ordem do Dia, discussões e votações de Projetos de Lei e Indicações, além das demais atribuições da casa Joaquim Nabuco.